Pai Tupinambá

 

Traduzindo o evangelho para a prática diária da mediunidade, existem muitas semelhanças com o que é praticado aqui na CFA.

 

O médium que exerce a mediunidade sem se evangelizar, sem mudar seu comportamento no dia-a-dia, é como um rádio sem sintonia perfeita, funcionando só como válvula de escape para uma personalidade reprimida.

 

Contudo, os médiuns que procuram aprimorar sua mediunidade através da prática diária do evangelho, com comprometimento aos ditames do Cristo, com amor e periodicamente, se tornarão cada vez mais aptos, mais saudáveis e principalmente subirão com mais facilidade a escada que os conduzirão a esferas mais altas na espiritualidade. Na ausência da evangelização da mediunidade, o médium tornar-se-á presa fácil dos obsessores, danificando em parte seus neurônios, advindo então perturbações psíquicas cada vez maiores pelo acúmulo de cargas negativas, podendo, caso não tratado a tempo, adquirir doenças em várias partes do corpo, ou mesmo abalando de tal forma seu sistema nervoso que pode entrar em processo de loucura.

 

A maioria dos médiuns que exerce a mediunidade, sem se preocupar com a modificação interior, será sempre um médium candidato a erros clamorosos nas comunicações que vierem através dele, e também, como já dissemos, força o sistema nervoso a toda hora. Esse “forçar” significa que as cargas negativas não são expelidas pelo organismo, principalmente os rins, deixando o sistema nervoso “embaralhado”, pois emite ordens que as sinapses não conseguem passar a outros órgãos em virtude do esgotamento de parte do sistema nervoso.

 

Ao não conseguir transformar as cargas negativas advindas das obsessões, do estresse, das emoções e das vicissitudes da vida, sem o amparo trazido pelo evangelho, esse médium fica comprometido também no perispírito, levando as marcas da incúria para a vida além da morte.

 

Como toda a mediunidade se passa através do sistema nervoso, os dendritos e as sinapses quantas vezes “morrem”, trazendo com isso o maior desafio, não só para ciência oficial como para a ciência espiritual, que precisa da perfeição do sistema nervoso, pois é por esse sistema que efetuamos nosso contacto nas incorporações. De toda maneira tentamos restaurar essas vias de comunicação sem, contudo, conseguirmos corrigir totalmente essas vias expressas.

 

Nas incorporações, precisamos aumentar o eletromagnetismo do médium, sintonizá-lo com o sistema do guia da melhor maneira possível, atuar no sistema nervoso e então, através de vibrações, mandar as mensagens que serão captadas pelo cérebro encarnado, sendo que as sinapses são as grandes colaboradoras desse processo.

 

O bom médium é aquele que permite a atuação completa do seu guia, que procura a todo custo melhorar sua vibração através de atos transformadores do seu espírito, coisa que só com a evangelização da mediunidade poderá ocorrer, tornando assim a mediunidade uma árvore frondosa que dará frutos para todos os sequiosos de amparo e amor.

 

 

Tupinambá - Psicografada por Celi em 1o. de abril de 03, em reunião espiritual na CFA. Sobre o Evangelho.

 

 

CFA – RJ, 14-03-06 

 

Psicografado em reunião publica por Celi de Menezes Bomfim

 

Se desejas o bem, pregas o bem 

 

Os valores éticos da sociedade humana são deturpados a todo o momento, todos criticam a todos, no entanto essas pessoas não conseguem levantar os olhos para os seus próprios defeitos.

 

Quem limpa deseja limpar o exterior deveria também limpar o interior, pois, os maus atos vêm de dentro de cada um.

 

Não se pode limpar o exterior sem limpar primeiro o interior, vasculhar o interior e meditar sobre os defeitos da alma é sinal de que a conscientização já chegou na mente humana. Ao se limpar o interior o físico fica em melhor estado e o perispírito não absorve tanto essas imperfeições da personalidade. Através da intuição o Espírito bem que tenta em gritos inenarráveis se exprimir, contudo o orgulho não permite o reconhecimento dos erros.

 

Como sentir estes gritos do Cristo? Vocês na certa perguntarão. Basta vasculhar a sua consciência, o seu dia a dia e verificar o que vocês têm feito de errado para com seus semelhantes, com sua família e seus vizinhos. Errou, conserte, não existe erro que não possa ser consertado, principalmente aquele que se diz cristão. Sendo todos humanos a caminho da evolução são sujeitos aos erros, contudo o esforço de consertá-los deve ser o principal motivo da evolução. Não podemos é consentir com a manutenção do erro, principalmente para aquele que deseja encontra o Cristo.

 

Quando achamos necessária a criação do conselho de ética é porque a CFA se encontra em padrão mais elevado e assim não admitirá médiuns com erros graves, principalmente os ligados a direção.

 

Sendo uma casa de regeneração o maior atributo de todos os médiuns é exatamente a ética em todos os sentidos, e o conselho apontará os erros e também as corrigendas, difícil, árdua, mais necessária.

 

Mas o que dizer quando as próprias pessoas do conselho não possuem ética?

 

Sendo assim uma casa de regeneração precisa primar pela ética em todos os freqüentadores, médium ou não.

 

Os membros do conselho são os primeiros a primar pelos conceitos da ética, caso contrario não terão o respaldo necessário para exigir dos demais comportamento que não possui.

 

Façam um analise interior e vejam se são capazes de ser conselheiro, ou qual de vocês está incluído na ética, será que todos são realmente capazes de participar desse conselho sem tramas de consciência?

 

Graças a Deus.

 

Tupinambá.

 
X

Senha:

Senha incorreta.